image

image
Nota Fiscal Paulista aumenta prêmio, mas reduz número de ganhadores mensais
O governo do Estado de São Paulo irá reduzir, a partir de julho, a quantidade e o valor gasto com os prêmios mensais da Nota Fiscal Paulista.
Agora, serão sorteados R$ 4,7 milhões em prêmios por mês. Antes, o Estado gastava R$ 19,5 milhões com os sorteios. A economia, portanto, será de R$ 14,8 milhões.

O número de bilhetes sorteados todos os meses, por sua vez, vai cair de 1,6 milhão para apenas 598.
Até agora, 1.503.394 de prêmios de R$ 10 eram sorteados todos os meses. Havia ainda 76.303 sorteios de R$ 20 e 15 mil de R$ 50. O prêmio máximo era de R$ 500 mil, sorteado para um bilhete,
A boa novidade para o contribuinte é que haverá sorteio de R$ 1 milhão a cada mês. Até então, esse valor era liberado só em datas especiais, como o Natal. Haverá ainda dois prêmios de R$ 500 mil.
A partir de agora, o sorteio especial de fim de ano terá o valor de R$ 2 milhões.
O valor mínimo sorteado todos os meses, por sua vez, será de R$ 1.000 -500 bilhetes serão premiados com esse valor.
Também ficou definido que a mesma pessoa ou empresa não poderá ser premiada mais de uma vez em um único sorteio.
“Antes, um mesmo CPF ou CNPJ podia ganhar mais de um prêmio no mesmo sorteio. Agora, quem for sorteado será retirado, aumentando a chance de outros ganharem”, afirma Carlos Ruggieri, coordenador da Nota Fiscal Paulista.
O Estado definiu um teto de cem bilhetes por compra realizada. Assim, gastos a partir de R$ 10 mil, que rendem cem cupons -já que cada R$ 100 equivale a um bilhete-, renderão o mesmo que uma compra de R$ 100 mil.
Foi criado ainda um limite para a geração de créditos por compra. Independentemente de quanto o consumidor gastou, o valor a ser devolvido ficará limitado a R$ 235,50 por compra.
“Essa medida permite que mais gente ganhe mais”, afirma Ruggieri.
HISTÓRICO
É a segunda vez em menos de um ano que o programa Nota Fiscal Paulista tem novas regras.
Em 2015, o governo atrasou a data de pagamento dos créditos. Agora, os créditos das compras feitas no segundo semestre, que saíam em abril, serão pagos só em outubro.
As novas regras devem sair na edição desta terça-feira (21) no “Diário Oficial” do Estado.
Com Folha de SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *