Confira 7 dicas para ajudar as PMEs melhorarem sua gestão financeira

Confira 7 dicas para ajudar as PMEs melhorarem sua gestão financeira

Veja as 7 dicas para ajudar as PMEs melhorarem sua gestão financeira e evitar fazer parte de uma triste estatística: metade das PMEs fecham as portas antes de completarem 5 anos de atividade.

 Confira 7 dicas para ajudar as PMEs melhorarem sua gestão financeira

Ao redor do mundo, as necessidades básicas dos empreendedores são as mesmas independentemente do país de origem. Todos precisam conquistar e manter clientes, receber pagamentos, ter acesso a capital de giro e investimentos e garantir que as finanças da empresa estejam em dia e organizadas.

No entanto, nem todas conseguem fazer a gestão de todos esses pontos. A Intuit observa que 50% das PMEs fecham as portas antes de completarem 5 anos de atividade, e que 60% delas sofrem para controlar as entradas e saídas de dinheiro da empresa.

Dados da própria Intuit apontam que dois terços das PMEs têm dificuldade em encontrar novos clientes, enquanto 25% delas não conseguem manter sua cartela atual.

Ainda, 77% não adotou um sistema de CRM (customer relationship management, ou gestão de relacionamento com o cliente), mesmo sabendo da relevância de se conseguir conquistar novas oportunidades. Para mudar essa realidade, Tiago Tadeu, Head de Vendas da Intuit, elencou sete dicas para ajudar as PMEs a melhorarem sua gestão financeira.

1- Invista na educação financeira

As PMEs nascem, muitas vezes, para suprir uma necessidade de complementar renda. Para que o empreendimento deixe de ser uma alternativa e passe a ser a principal fonte de remuneração, é necessário investir nos diversos aspectos da educação financeira.

Falamos de um processo que vai além de saber economizar para manter as contas em dia. Trata-se de um conjunto de procedimentos que visam otimizar a performance, mantendo a saúde do negócio ao mesmo tempo que podem ampliar a margem de lucro.

Para que isso aconteça, é necessário ficar atento às movimentações do mercado, bem como novas práticas associadas a ele. Além de entender termos econômicos e o que eles significam para os negócios, como inflação, dividendos e risco – e como essa informação pode auxiliar no planejamento em longo prazo.

Com muita pesquisa e leitura, o ideal é ficar sempre atento às oportunidades de aprendizado oferecidas no meio online. Diversas empresas, entidades e organizações oferecem cursos – pagos ou gratuitos. Lembre-se que o conhecimento é uma das peças-chave do empreendedorismo.

 2- Use a tecnologia a seu favor

Não há dúvida de que a tecnologia é uma ferramenta mais que bem-vinda para a gestão dos negócios. Ter os dados financeiros da sua empresa organizados e acessíveis pode auxiliar na tomada de decisões importantes, como a possibilidade de novos investimentos ou expansão.

É possível ter relatórios de desempenho personalizados, integração bancária, gestão de contas a pagar ou receber, controle de recibos e até mesmo a emissão de notas fiscais em um mesmo serviço na nuvem. É o que a Intuit oferece com o QuickBooks, pois acredita que os clientes devem ter mais tempo para planejar e executar seus planos de forma estratégica e assertiva.

3-Não deixe de controlar as entradas e saídas de dinheiro

A expressão de ordem aqui é: fluxo de caixa. Um dos pontos mais importantes é entender a entrada do dinheiro e a saída do mesmo para seu negócio. Para que isso aconteça, é necessário manter um relatório detalhado de movimentação financeira. O que entrou com pagamento à vista? Foi dinheiro ou cartão de débito? Quanto você pagou de taxa? Tudo isso é importante para você trabalhar as saídas e, ao final do processo, entender o seu lucro ao final de cada ciclo.

Quando tratamos de saída, é importante contabilizar cada elemento: eletricidade, internet, folha de pagamento, água, gás, tributos, taxas e tudo mais que afetar as finanças das despesas. Qualquer ponto omitido ou esquecido pode atrapalhar os planos de crescimento no futuro.

4-Faça reservas pensando no dia seguinte

Parte do planejamento financeiro de uma PME consiste em estabelecer uma reserva emergencial, com foco em futuras crises. Ele garante liquidez imediata para lidar com quaisquer despesas extras que possam surgir, como questões trabalhistas inesperadas, faturamento baixo (que pode ser causado por diversos motivos), ou até mesmo questões sanitárias, como vimos durante a pandemia de COVID-19. Esse fundo de reserva pode salvar uma PME da falência.

5- Não julgue uma despesa ou investimento por seu tamanho

Como foi dito na questão do fluxo de caixa, o empresário deve estar sempre atento a todas as despesas da companhia. Água, luz e internet são essenciais para o funcionamento, e devem ser constantemente monitoradas. Algumas delas podem ter valor baixo em comparação com outras, mas nem por isso são menos importantes.

Por outro lado, é preciso avaliar grandes investimentos e seus retornos. Um exemplo simples é a troca de lâmpadas incandescentes por LED. O investimento inicial parece caro, mas os cortes das despesas em médio e longo prazo podem ser extremamente significativos. O mesmo se aplica com a implementação de um novo software ou equipamento.

6- Faça o dinheiro render

Dinheiro parado é sinônimo de perda de rentabilidade. Faça com que o capital seja investido de forma inteligente na sua empresa, seja na forma de fidelização e atração de clientes, desenvolvimento de novos produtos (ou atualização dos existentes) e a criação de serviços que façam sentido para seu público.

A ideia é investir com foco no retorno que vai proporcionar o crescimento dos negócios.

7- Trace uma estratégia para sua empresa e execute

Uma expressão que os empreendedores vão ouvir constantemente é: planejamento estratégico. Quando feito da forma correta, ele se torna o grande responsável pelo sucesso de um empreendimento. Dentro dele, temos o planejamento da gestão financeira, que vai dizer como e quando as atividades devem ser executadas com base no seu caixa e reservas. Ou mesmo se é necessário recuar para evitar crises futuras.

Como criar uma estratégia funcional? É preciso entender profundamente o seu mercado. Não apenas o produto ou o serviço que vai prestar, mas também a legislação vigente, como a concorrência atua e as novas técnicas/recursos disponíveis para seu setor. Manter-se atualizado é essencial para fazer adaptações necessárias na sua estratégia.

Mas para que tudo caminhe de acordo, a diligência é essencial. Faça seu planejamento e coloque na rua de acordo com suas diretrizes.

Fonte: Intuit QuickBooks

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + dezesseis =